Tipos de alergia, identificando causas e sintomas provocados pelas alergias. Conselhos, dicas de tratamento e cura dos diversos tipos de alergia. Rinite e conjuntivite alérgica, asma, dermatite atópica, urticária, anafilaxia, sinusite e otite média.


quarta-feira, 16 de julho de 2014

A alergia alimentar

A alergia alimentar é uma preocupação crescente em muitos locais e cria um desafio significativo para muitas pessoas. Um número crescente de crianças são diagnosticadas com alergias alimentares de risco de vida (6 a 8 por cento) que podem resultar numa condição potencialmente fatal (anafilaxia).
Atualmente, não existe cura para alergias alimentares graves. A única maneira de prevenir alergias alimentares fatais é uma rigorosa evasão dos alimentos alérgenos identificados. 
Para salvar vidas, torna-se necessário promover planos que incluam educação e conscientização de que a alergia alimentar pode ser muito grave, pelo que existe necessidade de promover a prevenção de alérgenos e tratamento imediato da anafilaxia.

As alergias alimentares são um grupo de distúrbios distinguidos pelo modo como o sistema imune do corpo reage às proteínas alimentares. Numa verdadeira alergia alimentar, o sistema imunológico vai desenvolver um anticorpo chamado imunoglobulina alérgica E (IgE), sensível a uma proteína alimentar específica. Crianças com eczema moderado a grave têm uma chance de 35 por cento de ter proteína alimentar IgE específica. As manifestações de alergia alimentar variam de reações cutâneas leves a reações com risco de vida.
Crianças com alergia a agentes ambientais, tais como pólen e ácaros são mais propensas a desenvolver alergias alimentares; e aquelas que têm asma e alergias alimentares estão em maior risco de morte por alergias alimentares. Trinta e oito por cento das crianças que têm alergias alimentares têm uma história de reação grave e cerca de 30% das crianças com uma alergia alimentar é alérgica a vários alimentos.

Ingestão do alérgeno alimentar é a principal via de exposição, levando a reações alérgicas. Em alguns casos, mesmo quantidades muito pequenas de partículas de alimentos (por exemplo, um pedaço de amendoim), pode levar rapidamente a reações fatais, a menos que o tratamento imediato seja implementado.. A pesquisa indica que a exposição a alérgenos alimentares através do toque ou inalação, são causa improvável para de uma reação fatal. No entanto, se as crianças com alergias alimentares que colocam risco de vida tocarem o alérgeno e, em seguida, colocarem os dedos na boca, olhos ou nariz, o alérgeno é absorvido e pode levar à anafilaxia. A quantidade de alérgeno capaz de desencadear uma reação com risco de vida, é dependente do nível de sensibilidade de cada criança. 

Os oito maiores alérgenos alimentares mais comuns são o leite, ovos, amendoim, nozes, marisco, peixe, trigo e soja; embora um indivíduo possa ter uma alergia a qualquer alimento. Os alérgenos alimentares mais comuns para as crianças são leite, ovos e amendoim; enquanto para os adultos os alérgenos mais prevalentes são marisco e amendoim. As crianças vão frequentemente superar uma alergia a ovos, leite e soja. No entanto alergia a amendoim, nozes, peixes e mariscos em geral continuam na idade adulta. Não comer os alimentos a que a criança é sensível é a única terapia comprovada neste momento.

POSTAGENS POPULARES

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL