Tipos de alergia, identificando causas e sintomas provocados pelas alergias. Conselhos, dicas de tratamento e cura dos diversos tipos de alergia. Rinite e conjuntivite alérgica, asma, dermatite atópica, urticária, anafilaxia, sinusite e otite média.


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Alergia alimentar e intolerância alimentar

Muitas pessoas confundem alergia com intolerância alimentar por ambas apresentarem sintomas muito parecidos. No entanto, a alergia é causada por uma resposta do sistema imune do nosso corpo, principalmente mediada por IgE (uma Imunoglobulina responsável pela resposta alérgica), contra algum componente específico do alimento. Por outro lado, a intolerância  alimentar é causada por diversos fatores, como: contaminação do alimento por microorganismos ou toxinas, intolerância a lactose (causada por uma deficiência da enzima lactase, que faz a degradação da lactose presente no leite), reações devido a aditivos químicos no alimento (como os corantes, por exemplo), entre outras causas não ligadas ao sistema imune. 
Ao contrário do que se imagina, a alergia alimentar acomete apenas cerca de 7% das crianças menores que quatro anos e cerca de 4% dos adultos.  Ela pode ter um componente hereditário uma vez que pessoas com parentes alérgicos são mais susceptíveis ao seu aparecimento. Normalmente nos adultos esse tipo de alergia persiste pela vida toda, enquanto nas crianças, pode se manifestar apenas na infância se resolvendo espontaneamente com o tempo e o crescimento. Independente desse fato, é importante que seja feito o adequado diagnóstico da alergia alimentar, pois os sintomas podem variar de simples manifestações cutâneas até reação anafilática e morte.
As crianças são mais susceptíveis às alergias por ainda não  terem seu sistema imune e digestivo completamente formados. Para evitar o aparecimento das mesmas, é importante que a criança seja exclusivamente amamentada pelo leite materno até os 6 meses, o que confere maior proteção ao lactente;  outros tipos de leites ou seus derivados devem ser oferecidos somente após o primeiro ano de vida; não oferecer ovos antes dos 2 anos; não permitir o consumo de amendoim, castanhas e peixes antes dos 3 anos. Na impossibilidade de amamentar a criança até os seis meses ou mais, é imprescindível a cautela na substituição, já que muitas vezes opta-se por substitutos a base de soja, os quais podem não suprir as necessidades diárias de cálcio para essa faixa etária. Nesse caso é importante o acompanhamento adequado de um pediatra ou nutricionista.
Uma reação alérgica se dá por conta de determinadas proteínas presentes nos alimentos. Além de predisposição, o indivíduo já deve ter sido exposto previamanente ao alérgeno (substância capaz de ativar a reação alérgica) para apresentar os sintomas. Quando em contato com o alimento, suas proteínas são digeridas e, atingindo os tecidos, promovem a produção de imunoglobulinas, especificamente IgE. Dependendo do tecido ou órgão atingidos, diversos sintomas podem surgir: gastroenterites (trato gastrintestinal), vermelhidão e/ou prurido (pele, via aérea superior, olhos). 
Quando se suspeita de um alimento como causador de alergia, o mesmo deve ser retirado da alimentação, sendo então observado se os sintomas desaparecem. Não existe um tratamento específico para tal acometimento, havendo apenas a possibilidade de controle dos sintomas. O melhor a ser feito é se evitar o consumo de alimentos potencialmente causadores desse tipo de reação. Por exemplo, um indivíduo alérgico à proteína do leite deve evitar o consumo tanto de leite como de derivados. Deve-se lembrar ainda que submeter o alimento a altas ou baixas temperaturas não evita o surgimento de alergias. Sendo assim, antes de consumir, o ideal é ler os rótulos dos alimentos para se obter informações a respeito de sua composição. 
Existem mais de 100 tipos de alimentos considerados alergênicos. No entanto, oito deles (e seus derivados) são responsáveis por 90% dos casos de alergias alimentares.  São eles: leite, ovos, peixes, crustáceos e frutos do mar, amendoins, os vários tipos de castanhas, trigo e soja.
Conheça cada uma das doenças alérgicas existentes.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL